quinta-feira, 28 de julho de 2011

Arquivo da Falésia Azul - Casos 24 e 25

Caso 24: Tetsuma, a Vaca



Ryu Tetsuma [1] veio a Isan. Isan disse,

"Velha Vaca, você veio!"

Tetsuma disse,

"Amanhã haverá uma grande festa no Monte Tai [2].

Você irá lá, Mestre?"

Isan deitou-se e espichou-se. Tetsuma partiu imediatamente.



[1] Uma pessoa Zen famosa, que foi uma estudante de Isan. Seu nome significa "Ryu, a mó de ferro."

[2] Mais exatamente: Monte Gotai, que é muito longe na parte norte do país.



Caso 25: O Eremita do Pico de Lótus



O eremita do Pico de Lótus [1] pegou seu cajado e mostrou-o à assembléia,

dizendo: "Quando os antigos [2] chegaram a este ponto, por que não ousaram

permanecer aqui?" A assembléia ficou em silêncio. Ele próprio respondeu em seu lugar, dizendo: "Porque isso não tem poder sobre o Caminho".

Mais uma vez ele disse: "Afinal, como é?" Uma vez mais ele mesmo respondeu

no lugar deles, dizendo: "Com meu cajado sobre meus ombros, e, prestando nenhuma atenção a outras pessoas, eu vou direto aos mil e dez mil picos."



[1] Originalmente "Rengeho." Seu verdadeiro nome era Sho, um neto do Dharma de Unmon Zenji

[2] Os antigos grandes personagens Zen.

Arquivo da Falésia Azul - Caso 23

Caso 23: Hofuku e Chokei vão a um piquenique



Uma vez Hofuku e Chokei foram a um piquenique nas colinas.

Hofuku, apontando com um dedo, disse:

"Aqui é o cume do Pico Myo." [1]

Chokei disse,

"Exatamente. Mas, é lamentável."



(Setcho comentou dizendo:

"Qual é a utilidade de fazer uma excursão com esses companheiros hoje?"

Ele disse novamente,

"Centenas e milhares de anos a partir de agora, eu não digo que não haverá

ninguém semelhante a ele, apenas que haverá muito poucos.")



Mais tarde, eles relataram isso a Kyosei. Kyosei disse,

"Se não fosse pelo Reverendo Son [2], você veria somente esqueletos no campo".



[1] Literalmente: "o Pico da Maravilha".

[2] Nomeadamente, Chokei.

Arquivo da Falésia Azul - Casos 21 e 22

Caso 21: "O Lótus" de Chimon



Um monge perguntou a Chimon,

"O que é quando o lotus ainda não saiu para fora da água?"

Chimon disse,

"Flores de Lótus."

O monge perguntou:

"O que é após o lótus ter saído da água?"

Chimon respondeu:

"Folhas de Lótus."



Caso 22: "A Cobra Venenosa" de Seppo [1]



Seppo, instruindo a assembléia, disse:

"Há uma cobra venenosa no lado sul da montanha. Todos vocês devem olhá-la com atenção!"

Chokei disse,

"Hoje, no salão Zen há muitas pessoas. Elas perderam seu corpo e sua vida."

Um monge contou isso para Gensha, que disse:

"Somente o Irmão mais velho Ryo [2] poderia dizer algo assim. No entanto, eu não falaria assim."

O monge perguntou:

"O que você diria então, Mestre"?

Gensha respondeu:

"Por que tem de ser 'o lado sul da montanha'?"

Unmon jogou seu cajado em frente a Seppo e agiu com medo.



[1]: ver o caso 24 de Shoyoroku (é a mesma história, contada no Livro da Serenidade).

[2]: ou seja, Chokei

Arquivo da Falésia Azul - Casos 19 e 20

Caso 19: Um Dedo de Gutei [1]



A tudo o que ele era questionado sobre o Budismo, Mestre Gutei simplesmente levantava um dedo.



[1]: ver o caso 3 do Mumonkan




Caso 20: Suibi e o Descanso para o Queixo [1]



Ryuge perguntou a Suibi,

"Qual é o significado do Patriarca ter vindo do oeste?"

Suibi disse,

"Traga-me um descanso para o queixo."

Ryuge trouxe um e deu a ele. Suibi pegou-o e bateu-lhe.

Ryuge disse,

"Você pode bater-me como quiser. Afinal não há nenhum significado para o

Patriarca ter vindo do oeste. "



Ryuge também perguntou a Rinzai,

"Qual é o significado do Patriarca ter vindo do oeste?"

Rinzai disse,

"Traga-me uma almofada para sentar."

Ryuge conseguiu uma e deu para Rinzai. Rinzai pegou-a e bateu-lhe. Ryuge disse,

"Você pode bater-me como quiser. Afinal não há nenhum significado para o

Patriarca ter vindo do oeste. "



[1] Literalmente: "tábua Zen" ou seja, uma tábua estreita usada ​​de modo a permitir que alguém durma na posição sentada.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Arquivo da Falésia Azul - Caso 18

A Lápide do Mestre Nacional



Imperador Shukuso [1] perguntou a Chu, o professor nacional,

"O que você gostaria que eu fizesse depois de cem anos?" [2]

O professor nacional disse,

"Faça uma lápide perfeita [3] para este velho monge."

O imperador disse:

"Gostaria de pedir-lhe, mestre, um desenho."

O professor nacional permaneceu em silêncio por um longo tempo. Então ele disse:

"Você entendeu?"

O imperador disse:

"Eu não entendi nada."

O professor nacional disse,

"Eu tenho um sucessor no Dharma, meu discípulo Tangen, que é bem versado nesse assunto. Permita que ele o visite e pergunte a ele sobre isso."



Depois que o professor nacional faleceu, o imperador chamou e perguntou a Tangen sobre o significado disso. Tangen respondeu:

"O sul do rio, ao norte do lago:

(Setcho comentou: "A única mão não soa sem razão.")

No meio há ouro, que preenche toda a terra.

(Setcho comentou: "Um cajado, recém-cortado da floresta da montanha.")

Sob a árvore sem sombras todas as pessoas estão em um barco;

(Setcho acrescentou: "O mar está calmo, o rio está claro".)

No palácio de cristal não há ninguém que saiba.

(Setcho comentou: "O discurso está terminado".)"



[1] historicamente falando, foi o Imperador Daiso, o filho mais velho e sucessor

de Shukuso.

[2] após sua morte

[3] uma lápide em formato oval, que é feita de uma única peça de pedra.

Era frequentemente construída para monges falecidos.

Arquivo da Falésia Azul - Casos 13, 14, 15, 16 e 17

Caso 13:  "A Taça de Prata" de Haryo [1]



Um monge perguntou a Haryo, "O que é a Seita Deva?"

Haryo disse: "Amontoar neve em uma tigela de prata."



Caso 14: "Pregando Apropriadamente", de Unmon



Um monge perguntou a Unmon,

"Qual é o ensinamento da vida inteira de Shakyamuni?"

Unmon disse,

"Pregar uma [única] coisa." [Em japonês: Tai-issetsu]



Caso 15: "Pregando ao Reverso", de Unmon



Um monge perguntou a Unmon,

"O que é que não é a função da mente em mim, nem uma coisa diante de mim?"

Unmon disse,

"A pregação no sentido inverso." [1]



[1]: Em japonês: Toissetsu



Caso 16: Kyosei e "Furando e Perfurando"



Um monge perguntou a Kyosei,

"Eu, seu aluno, estou furando de dentro da concha.

Imploro-lhe, Mestre, por favor, perfure de fora."

Kyosei disse: "Mas você vai estar vivo ou não?"

O monge disse, "Se eu não estivesse vivo, todas as pessoas ririam."

Kyosei disse: "Seu idiota do mato!"



Caso 17: “Sentar por um longo tempo”, de Kyorin



Um monge perguntou a Kyorin,

"Qual é o sentido do Patriarca ter vindo da direção oeste?"

Kyorin disse,

“Estou cansado de estar sentado por tanto tempo.”

terça-feira, 26 de julho de 2011

Arquivo da Falésia Azul - Casos 9, 10, 11 e 12

Caso 9: Os Quatro Portões de Joshu



Um monge perguntou a Joshu,

"O que é Joshu?" [1]

Joshu disse:

"Portão leste, portão oeste, portão sul, portão norte."



[1]: O nome do Mestre Zen Joshu é retirado da cidade "Joshu", perto da qual ele ensinava.



Caso 10: "O Idiota" de Bokushu



Bokushu pediu a um monge, "De onde você vem?"

Imediatamente o monge gritou: "Kaatz!"

Bokushu disse: "O velho monge foi repreendido por você com um 'Kaatz'!"

O monge gritou novamente, "Kaatz!"

Bokushu disse: "Depois de três ou quatro gritos de 'Kaatz', então o quê?"

O monge ficou em silêncio.

Bokushu bateu-lhe, dizendo: "Seu idiota!"





Caso 11:  "Os bebedores de Borras" de Obaku



Obaku, instruindo a assembléia, disse:

"Vocês são todos bebedores de borras. Se continuarem em seu Caminho desta maneira, onde estará o "Hoje" [O mundo do nirvana]? Vocês sabem que neste grande império dos Tang não há mestre Zen?"

Agora, um monge se adiantou e disse:

"O que você diria frente ao fato de que em vários lugares há pessoas que aceitam alunos e dirigem suas assembléias?"

Obaku disse,

"Eu não digo que não há Zen; apenas digo que não há nenhum mestre."



Caso 12: "Três libras de cânhamo" de Tozan [1]



Um monge perguntou a Tozan,

"O que é Buda?"

Tozan disse,

"Três libras de cânhamo." [2]




[2]: Em japonês: masagin

Arquivo da Falésia Azul - Casos 5, 6, 7 e 8

Caso 5: "O Grão de Arroz" de Seppo



Seppo, ensinando a assembléia, disse:

"Quando vocês pegam toda a terra em seus dedos, ela é do tamanho de um grão de arroz. Lanço-o a vossos pés. Como em um balde de laca preta, vocês

não o reconhecem mais. Batei o tambor, chamai a todos para procurar por ele!"





Caso 6: "O Bom Dia" de Unmon



Unmon, dando instruções, disse:

"Eu não lhes pergunto sobre antes do décimo-quinto dia; tragam-me uma frase sobre

após o décimo-quinto dia."

Unmon respondeu ele mesmo no lugar dos monges,

"Todo dia é um bom dia."



Caso 7: Eco pergunta sobre Buda



Um monge perguntou a Hogen: "Eu, Eco, pergunto a você, Mestre. O que é Buda?"

Hogen disse: "Você é Eco."



Caso 8:  "As Sobrancelhas" de Suigan



No final do verão [1], Suigan instruiu a assembléia, dizendo:

"Todo o verão tenho pregado a vocês, meus irmãos. Olha aqui, as sobrancelhas de Suigan ainda estão aí? [2]"

Hofuku disse,

"O coração do ladrão está aterrorizado!"

Chokei disse,

"Elas estão bem crescidas!"

Unmon disse,

"Kan" [3]



[1]: Verão - sesshin para 3 meses.

[2]: Segundo a crença popular um grande criminoso deve perder as sobrancelhas

como um sinal de sua iminente punição no inferno.

[3]: Literalmente kan significa "barreira" (cf. Mumonkan). Naqueles dias, esta palavra  chinesa significava também coloquialmente, "Cuidado!" ou "Aí!"

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Arquivo da Falésia Azul - Caso 4

Tokusan com Sua Trouxa



Tokusan chegou a Isan. Carregando sua trouxa debaixo do braço, ele adentrou o salão do Dharma. Atravessou-o de leste a oeste e de oeste a leste.

Olhando ao redor ele disse: "Nenhum, nenhum!" E saiu.

(Setcho [1] comentou: "Apoiado")



Mas quando chegou ao portão de entrada, Tokusan disse: "Ainda assim, eu não deveria ser tão apressado." Então, ele vestiu-se formalmente e entrou novamente para encontrar Isan. Quando Isan sentou-se em seu lugar, Tokusan ergueu sua esteira de tecido em uma forma cerimonial e disse:

"Mestre!" Isan estava prestes a pegar um utensílio de cozinha [2], quando de repente Tokusan gritou:

"Kaatz!" Então ele sacudiu as mangas (da camisa) e saiu.

(Setcho comentou: "Apoiado!")



Virando as costas ao salão do Dharma, Tokusan calçou suas sandálias de palha e partiu.

À noite, Isan perguntou ao monge chefe: "Onde está o recém-chegado que estava aqui há um momento?" O monge chefe disse,"Ele logo virou as costas ao salão do Dharma, calçou suas sandálias de palha e foi embora." Isan disse: "Um dia esse sujeito vai construir uma cabana de palha em cima de um pico solitário, e repreender os budas e insultar os patriarcas. "

(Setcho comentou: "Empilhando geada sobre a neve.")



[1]: Setcho Zenji é o compilador do Hekiganroku.

[2]: Em japonês: hossu, isto é, um bastão com um batedor de claras na ponta.

Arquivo da Falésia Azul - Caso 3

Mestre Ba Está Doente



O Grande Mestre Ba estava seriamente doente. O sumo sacerdote do templo perguntou-lhe:

"Mestre, como você está se sentindo atualmente?"

O Grande Mestre disse:

"Buda Rosto-do-Sol, Buda Rosto-da-Lua" [1].



[1]: O "Buda Rosto-do-Sol" é um buda que dizem ter uma vida de

1800 anos, enquanto o "Buda Rosto-da-Lua" vive apenas 24 horas.

Arquivo da Falésia Azul: Caso 2

O "Caminho Supremo" de Joshu



Joshu, instruindo a assembléia, disse:

"O Caminho Supremo não é difícil; ele simplesmente desgosta escolher [1] Mas mesmo se uma palavra é pronunciada, já é uma ação de 'escolher' ou de aderir à 'clareza'. Este velho monge [2] não habita a clareza. Vocês monges querem agarrar firmemente a "clareza" ou não?"

Naquele momento, um monge perguntou:

"Você diz que não reside na clareza. Se assim for, o que há para se agarrar firmemente?" "

Joshu disse:

"Eu também não sei."

O monge disse,

"Se você, Mestre, não sabe, por que você diz que não habita a clareza?"

Joshu disse:

"Você já perguntou amplamente. Cumprimente e retire-se."



[1]: Cf. o início do Shinjinmei (Acreditando na Mente; Poema composto

pelo terceiro Patriarca Sosan):

"O Caminho Supremo não é difícil;

ele simplesmente desgosta escolher.

Somente se não houver amor ou ódio,

tudo é completa clareza. "


[2]: "este velho monge", ou seja: "Eu".